sexta-feira, agosto 26, 2011

1582. Conversa de caca


Acabei de ler na Avogi um extraordinário post didático. Ensina a Avogi as meninas a embrulhar pensos menstruais. Pois este ensinamento que se segue  é para meninas e meninos e tem a ver com cocó de cães.

E como diz a Avogi, aprendam porque eu não vivo sempre.

Em primeiro eu até podia começar aqui por vos explicar o que é um saco plástico. Primeiro o que é plástico tipo assim a fórmula química do hidrocarboneto que o constitui, polimerizado ou não. Depois como é cortado, dobrado, colado e etc com alcinhas ou não. Mas vou deixar este trabalho sobre química e sobre produção industrial de sacos de plástico que é assunto lateral para me atentar no fundamental.
E do fundamental consta um cão ou fêmea, ou mais, uma dona ou um dono ou até ambos, uma trela legada ou não à coleira, a coleira propriamente dita e o principal que não é exatamente um detalhe, o cu do cão (ou da cadela).

Pois estes estimáveis bichinhos têm, obviamente, todo o direito de terem necessidades fisiológicas. E têm todo o direito de evacuar, ora pois então! E até de fazer o seu xixizinho. Já que seria muito incómodo para os donos andarem de mangueira ou balde de água atrás, pelo menos tenham o cuidado de não porem os bichinhos a mijar contra o MEU CARRO, ok? Se não um dia, vejo-os a fazer isso, perco a vergonha na cara, tiro o pirilau para fora das calças e mijo nas pernas do dono ou da dona e vingo-me. Mas se o bichinho distraidamente o fizer, vá a senhora ou senhor a casa se faz favor, pegar num balde e num paninho e lavar o alvo da canina esguichadela. Se não percebeu eu mando-lhe um e-mail a explicar o que é um balde. E se pretender, também lhe explico o que é um pirilau.

Já agora, vamos lá então falar do cu. O cu, para aqueles donos que nunca repararam é o buraquinho traseiro de onde sai o cocó que o seu canito ou cadelita deixam no meu passeio. E um saco plástico é aquilo que a dona ou dono desse bichinho ou bichinha deviam trazer na mão para apanhar o cocó e botar no contentor. Ah, está bem, não sabem o que é um contentor. Pois se um dia eu vos cagar à porta, talvez aprendam. Ou querem que eu faça um desenho?

PS. Tenho a certeza que nenhum dos leitores deste post deixa os seus canitos cagarem a céu aberto sem limparem a respetiva defecação. Mas este sermão não é para nenhum nem nenhuma de vocês. É para os peixes, ou eu não me chame Santo António!

8 comentários:

A Bruxa disse...

Eu deveria copiar esse post e colar na porta de alguns vizinhos que insistem que a minha calçada, arborizada, com um muro lindo e florido, deva ser banheiro de seus cãezinhos.

Maria disse...

Já fui ao Avogi...
Tu nem sabes o que eu já fiz por causa dos xixis nos pneus (com cães de vizinhos) e dos cócós no passeio. Nem te digo...
(mas funcionou!!!!!)

:)))))
... e beatas do vizinho de cima no meu terraço? hehehehehe..... até lhe dei um cinzeiro!

AVOGI disse...

AI Vitor fizeste esboçar o primeiro sorriso do dia
Obrigada pelo sorriso e pelo lincamento hihihi
kis :=)

Clarice disse...

Meu cão não faz cocô fora de casa e segura tanto o xixi que ao entrar corre para sua grade higiênica feito doido.
Já xixi no pneu dos carros tem um explicação bem simples. A borracha(acho que em Portugal chamam goma) tem cheiro que lembra cheiro de cão macho. Daí que eles regam o cheiro do concorrente.
Beijos.

Manuela disse...

Gostei! Podias fotocopiar este texto e afixar em alguns locais das nossas cidades ou quiçá, na entrada de alguns prédios!!

Vítor Fernandes disse...

Clarice, e borracha mesmo.

Janita disse...

Prezinho...esta "Conversa de caca" é muito didáctica, sim senhor!
Mas...quem aprendeu, aprendeu, e quem não aprendeu é porque é muito burro e já não vai aprender!!

Vamos lá mudar o post, de preferência para um "Lunch(ezito)Time Blog". É que já sinto muitas saudades do Schubert!

Agora deu-se à preguiça, ou quê?

Beijinhos.

PreDatado disse...

Janita, seja feita a vossa vontade e amén.

beijitos.